Você sabe o que é Bullying?

Ao ser perguntado sobre o que é Bullying, qual a primeira coisa quem vêm a sua cabeça? Talvez você até saiba responder, mas não com poucas palavras e muito menos definir em uma única palavra. Pois é bem isso. Esta prática é muito mais complicada e muito mais comum do que imaginamos. Esta já é uma prática muito antiga, porém, antes sem importância.

 

Primeiro, vamos começar por sua definição. A palavra vem do inglês Bully e significa intimidar, agredir, portanto Bullying significa intimidando, agredindo. Já sua definição prática é ato de violência, física ou psicológica, intencional e repetida, praticada por um ou grupo de indivíduos à um outro grupo ou pessoa.

 

O Bullying é uma forma de assédio ou intimidação com o objetivo de exercer algum poder sobre outra pessoa ou grupo que seja mais fraco. E é uma prática mais freqüente em escolas. Segundo Dan Olwes, cientista sueco e professor da universidade da Noruega e o primeiro a criar uma definição para este tipo de violência, o Bullying é dividido em três tipos de comportamento: agressivo e negativo, executado repetidamente e com predominância em um relacionamento onde há um desequilíbrio de poder entre as partes. E por ser mais comum nas escolas e com adolescentes, ainda fez uma subdivisão: Assédio Escolar Direto, a forma mais comum entre agressores masculinos; e Assédio Escolar Indireto (também conhecido como agressão social), mais comum entre agressores do sexo feminino e crianças. É caracterizada por forçar a vítima ao isolamento social.

 

Algumas pesquisas mostram que quem prática este ato tem personalidade autoritaria e possui forte necessidade de controlar e dominar. Este assédio escolar, independente do nome, pode ocorrer em qualquer lugar ou modo seja em escolas, faculdades, local de trabalho e até mesmo na rua. E também não diz respeito, necessariamente, a criminalidade e violência. Frequentemente ocorre por meio de abuso psicológico e verbal.

 

São muitas as formas de praticar o Bullying, entre insultos, acusações, ataques físicos repetidos, espalhar mentiras sobre a vítima, dominar com o intuito de obrigar alguém a obedecer ordens, criar casos entre a vítima e outras pessoas, isolamento social, chantagem, ridicularizar o modo de vestir ou agir, colocar alcunhas e apelidos e outros aspectos socialmente significativos incluindo etnia, religião, incapacidades, entre outros.

 

Outra forma de Bullying escolar, quase nunca notada, é entre professor e aluno. Neste caso, o professor usa toda sua autoridade para intimidar o aluno, como exemplo, chamando a atenção em voz alta diante da classe, assumindo um critério de avaliação diferenciado dos outros, ameaçando de reprovação, etc.

 

Legislação

 

No Brasil, pela legislação (Lei 14.957, de 16 de julho de 2009), os jovens infratores podem levar aplicações de medidas sócio-educativas. Já pela esfera cívil, os pais dos agressores podem ser obrigados a pagar indenização e, também responder processo por danos morais. Pela lei, o Bullying, configura ato ilícito por que desrespeita princípios constitucionais como a dignidade humana.

O tema é muito mais extenso e muito mais complicado. Vale a pena, para quem tiver maior interesse ou dúvidas, procurar profissionais que possam indicar e auxiliar com o assunto e identificar se alguém que você conhece está sofrendo Bullying.

 

 

 

>

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>